English | Português

Renata assistiu: Okja

Diversos Sem categoria

Oi, tudo bem? Me mudei ja faz um mês e estava sem cable na minha casa, assim que o cable foi instalado resolvi procurar por um filme e assistir com meus filhos porque o marido […]

Como combater gripe e resfriado

Saúde e Beleza Sem categoria

Olá tudo bem? Mais um belíssimo post aqui no blog com uma matéria da Rosi Feliciano . Ela preparou um post belíssimo de como combater gripe e resfriado dando dicas reveladoras. Nariz entupido, dor de […]

Unha inspiração: Dara e café brasileiro

Saúde e Beleza Sem categoria

Olá, tudo bem? Não costumo fazer post de unha , já tentei, mas não é meu ponto forte. Sempre faço minhas unhas no chinês , unha de acrílico, porém não tenho muita paciência em preparar […]

Vamos refletir: pais e filhos

Diversos Sem categoria

Olá , tudo bem? A um bom tempo atras, li uma matéria que uma amiga mandou e depois vi essa matéria em vários lugares e li denovo, denovo e denovo. E cada vez que eu […]

Olá , tudo bem?

A um bom tempo atras, li uma matéria que uma amiga mandou e depois vi essa matéria em vários lugares e li denovo, denovo e denovo.

E cada vez que eu lia eu percebia o quanto amo meus filhos e o quanto eu quero o bem deles.

Tento ocupar o tempo dos dois, com atividades do lado de fora.

Tenho consciência que a minha correria de mãe, dona de casa, trabalho, e milhões de coisas que só mãe consegue fazer,  sei que tudo que faço e para eles e que da aquele pancadão no fim da tarde, vontade de deitar e ficar quieta. E realmente um cancasso no corpo e mente inexplicável , porém no fundo no fundo me faz feliz.

E correria, escola, casa, rua. Fellipe para o futebol e a Maria para a dança. Isso é durante o ano inteiro.

Muitas pessoas me perguntam como e que eu consigo? Simples: organização e força de vontade.

Quero que meus filhos façam coisas bacanas e que eles se sintam felizes . O dia que eles falarem: mae, não quero mais fazer isso. A gente procura outra coisa pra fazer. Simples assim.

Lógico que quando estão em casa eles têm o tempo deles sim no computador, telefone, TV, vídeo game… são normais como os outros.

Porém, tento policiar e mostrar a eles que tem  hora de parar e hora de começar. E isso quem controla são os pais.

Os filhos do quarto!

Antes perdíamos filhos nos rios, nos matos, nos mares, hoje temos perdido eles dentro do quarto!

Quando brincavam nos quintais ouvíamos suas vozes, escutávamos suas fantasias e ao ouvi-los,
mesmo a distância, sabíamos o que se passava em suas mentes.

Quando entravam em casa não existia uma TV em cada quarto, nem dispositivos eletrônicos em suas mãos.

Hoje não escutamos suas vozes, não ouvimos seus pensamentos e fantasias, as crianças estão ali, dentro de seus quartos,
e por isso pensamos estarem em segurança. Quanta imaturidade a nossa.

Agora ficam com seus fones de ouvido, trancados em seus mundos,
construindo seus saberes sem que saibamos o que é…

Perdem literalmente a vida, ainda vivos em corpos, mas mortos em seus relacionamentos com seus pais,
fechados num mundo global de tanta informação e estímulos, de modismos passageiros, que em nada contribuem para formação de crianças seguras e fortes para tomarem decisões moralmente corretas e de acordo com seus valores familiares.

Dentro de seus quartos perdemos os filhos pois não sabem nem mais quem são ou o que pensam suas famílias, já estão mortos de sua identidade familiar…
Se tornam uma mistura de tudo aquilo pelo qual eles tem sido influenciados e pais nem sempre já sabem o que seus filhos são.

Você hoje pode ler esse texto e amar, mandar para os amigos.
Pode enxergar nele verdades e refletir. Tudo isso será excelente.

Minha opinião em relação a materia e deixando bem claro, não sou psicóloga nem pediatra, porém sou mãe, tenho dois filhos, e quero o melhor para eles. Não existe amor maior no mundo .

Entao e só uma dica , tire seu filho do quarto, do tablet, do celular, do computador, do fone de ouvido, ensine seu filho aquele jogo que você mais brincava, queimada, amarelinha, baralho (amava jogar rouba monte, joguei semana passada aqui em casa com eles) tire um momento você e seus filhos todos os dias para conversarem sobre o seu dia, pergunte sobre o dia deles.

E jogue, divirta-se com eles, escute as vozes, as falas, os pensamentos e tenha a grande oportunidades de tê-los vivos, “dando trabalho” e que eles aprendam a viver em família, se sintam pertencentes no lar para que não precisem se aventurar nessas brincadeiras malucas para se sentirem alguém ou terem um pouco de adrenalina que antes tinham com as brincadeiras no quintal !”

Texto de Cassiana Tardivo.

Grande abraço e até o próximo post.

  1. Beatriz Prado disse:

    Não sou mãe, mas seu texto me tocou bastante. Acho que é exatamente isso que está acontecendo, estamos perdendo pessoas que estão bem ao nosso lado.
    Espero que seu post alcance muitas pessoas e toque todas elas.

    • Renata disse:

      Ehh minha querida. E fato. Infelizmente o tempo vai passando e as pessoas vão perdendo a essência , a delicadeza , o carinho pelo próximo. Com a correria do tempo a gente sempre deixa pra lá. Amanhã. Depois.
      Procura lutar contra a tecnologia, brigo ali lado a lado. Mostrando pra eles que tá ali, existe porém quero eles presente perto do real.
      Obrigada por ter gostado.

  2. Que post extraordinariamente único! Só li verdades a cada vírgula!
    Tenho 19 anos, ainda não tenho filhos, mas durante a minha infância tive o gostinho de brincar na rua, correr ao ar livre, gastar minha energia em brincadeiras com meus pais e amigos, mas hoje o que vemos são crianças trancafiadas em um mundo que existe na palma da mão, um mundo mais perigoso que o real, um mundo muitas vezes perverso e cruel!
    Mas infelizmente tenho visto pais induzir seus próprios filhos a esse mundo. Querem descansar do serviço, entregam o celular. Querem resolver alguma coisa, ligam o videogame. Isso me dói, já que deveria ser o contrário. País e filhos precisam viver o mundo real, esse que existe de fato e fortalece os laços!
    Mil Parabéns por essa reflexão importantíssima e um grande abraço! 😊

    • Renata disse:

      Fico feliz que tenha gostado. Eu tento fazer minha parte na minha casa, ensinar meus filhos o que mais amei qdo era criança. Brincar com meus amigos, sem o tal do bulling, sem violência, correr, soltar pipa, jogar queimada ohhhh época que era linda e inocente. Hoje e como vc mesmo mensionou , os pais ajudam. Tá no aperto taça o celular na mão da criança. A culpa não é das crianças e sim dos pais .
      Bjos e obrigado pela visita.

  3. Marcelo disse:

    Caramba, é o texto bem profundo, porém verdadeiro. A infância que tivemos nem se compara com a que eles tem hoje, antigamente eu mesmo brincava na rua, corria, gritava, várias brincadeiras diferentes… Hoje eles só ficam parados em silencio jogando video game ou no celular. Simplesmente a infancia “deixou de existir”.

  4. Daniela disse:

    Muito boas as suas reflexões. Eu não tenho filhos portanto nem tenho muito o que opinar. Mas, posso concordar que as crianças precisam sair do mundo dos eletrônicos e que os pais precisam estar juntos delas para que isso de fato aconteça. Muitos mais se preocupam com isso, mas pouco querem encarar a realidade dos fatos, é preciso educá-los e o exemplo é a melhor forma de fazer isso, né?

    Bjs
    Dani, do Blog Sabe o que é?
    http://sabeoque.blogspot.com

  5. Renata que texto maravilhoso é uma reflexão pra todos nós seguir, nos dias de hoje os filhos estão muito voltados a tecnologia, claro que a tecnologia é muito bom, mas ainda o melhor é quando os filhos se diverte com as brincadeiras. As crianças precisam brincar face a face com outras crianças, se sujar na terra, brincar de bola, boneca, peteca, pois essas brincadeiras elas levam pra toda a vida. Brinquei muito dessas brincadeiras e hoje adulta não me esqueci dessas brincadeiras. Reflexão maravilhosa para todos nós, bjs.

  6. Renata disse:

    Que texto real viu? É uma ótima reflexão, todos os papais e mamães deveria ler esse texto e pararem para pensar sobre oq está havendo!

  7. Lia disse:

    Que texto maravilhoso, queria que todas as crianças que estão perdendo a melhor parte da vida delas pudessem ler esse texto e aprender algo com ele, me tocou bastante pois já fui assim um dia, parabéns ótimo post! Sucesso, beijosss

  8. Oiiiii
    Que texto maravilhoso realmente me fez refletir muito aqui,Ainda mais realmente nesse dia que estou passando já que é 13/08 dia dos pais esse texto nesse dia refletindo muito combina realmente bastante e é como as amigas a cima disse ” as crianças que estão perdendo a melhor parte da vida delas pudessem ler esse texto e aprender algo com ele” eu concordo muito com isso que ela disse.

  9. Paula disse:

    Que texto ótimo e realmente refleti muito com esse texto me fez pensar muito eu amei muito bem escrever beijos sucesso

  10. Daiana Fant disse:

    Gostei bastante desse post, pois nos traz uma ótima reflexão acerta de nossas crianças e adolescentes e quem eles são e o que estão se tornando. Hoje em dia é comum mesmo pensarmos que é melhor em casa trancado no quarto em um computador do que na rua com perigos, mas não é bem assim que a banda toca. Precisamos ter cuidado. Vale muito sapiência

  11. Alice Martins disse:

    Oi Renata, tudo bem?

    O texto é realmente maravilhoso e nos faz refletir muito sobre a relação entre os pais e filhos atualmente. Não sou mãe, mas como uma filha que acabou de sair da fase da adolescência me encontrei em algumas dessas linhas, pois pude ver exatamente como ocorreu minha relação com os meus pais. Acho necessário tirar os filhos do tablet e do computador e o levar para a vida, isto é fundamental. Adorei!

    Beijos!

  12. conceiçao disse:

    Boa tarde, como vai? Eu achei super interessante esse seu texto, pois ele retrata bem a vida de muitas familias ou pelo menos o que deveria ser uma familia feliz, ainda por que esse é um texto que nos faz refletir bastante sobre diversas vezes que fazemos ou dizemos algo com os nossos pais, o qual nao devemos

  13. Esther De Sa disse:

    Olá, tudo bem?
    Não sou mãe, mas admiro bastante a sua força de vontade e o cuidado que demostra ter com os seus filhos. Não conhecia o texto, mas concordo com cada palavra. Infelizmente, não tem como excluir a tecnologia da vida das crianças, afinal até as escolas estão usando disso, mas tudo deve ser na medida certa e só os pais podem e devem controlar isso.
    Beijos!

  14. Priscila disse:

    Nem digo que amei o texto né? Não sou mãe mas vejo o esforço da minha mãe em manter tudo nos eixos, mesmo eu e minha irmã sendo maiores de idade — minha irmã já é mãe inclusive —, ela sempre nos incentiva e policia para que não fiquemos sempre presas na zona de conforto. Eu mesma, quando ela vê que estou muito tempo dentro do quarto, seja jogando ou assistindo, ela já vem toda animada para me fazer largar o notebook e sair com ela. Sinceramente eu adoro isso, é tão bom largar o mundo digital e sair, se divertir, conversar com a voz, rir alto. Esse teu texto só nos trás verdades certeiras, antigamente a infância tinha sons e fantasias, hoje em dia ela é silênciosa e sintética, não podemos deixar que isso aprisione os passeios em bicicleta as nossas crianças. Amei tua sinceridade e o carinho contigo aqui no teu post, manda mais que a gente gosta muito. Beijão.

  15. Suzi Gomes disse:

    Que texto maravilhoso, concordo plenamente com tudo. As crianças e adolescentes de hoje andam muito restritos, tomados pela tecnologia, no meu tempo não brincava tanto na rua, mas brincava com bonecas, de escolinhas, vivia com primas e coleguinhas brincando. Mas cabe aos pais saber policiar os filhos e não deixa-los assim. bjs

  16. Luma disse:

    Não sou mãe, mas tenho que concordar com você quanto a tecnologia. Hoje vejo meus primos mais preocupados com os jogos de vídeo game do que em correr e brincar. Eu aprontava tanta coisa bacana quando era criança, queria que eles tivessem a mesma oportunidade!

  17. Babis Dias disse:

    Adorei o post e texto.Uma ótima reflexão para todos e para quem tem filhos também.
    Hoje em dia as crianças brincam dentro dos seus quartos.

  18. José Pinheiro disse:

    Olá, como vai?
    Eu ainda sou o tipo de filho, que sai muitas vezes, para explorar e visitar a minha cidade, Lisboa!
    Aqui há uns meses, ficava a jogar videogames no meu quarto o dia todo, mas já não vejo piada a isso!
    Bj

  19. Fabii Santo disse:

    Olá,
    verdade, hoje uma época de muitas tecnologias temos que ser mais cuidadosos e atentos na criação das crianças, botando eles para brincar e fazer coisas de crianças que seja legal, pois a maioria hoje em dia só vivi dentro do quarto, na frente do vídeo game, computador e não é muito bom pois a criança fica menos sociável. eu adorei o assunto abordado bjs!

  20. marcia disse:

    ola tudo bem? otimo post para refletirmos, meus filhos ainda brincavam na rua , interagiam com a familia , mais hoje com toda essa tecnologia vejo meus netos e outras crianças inteiramente envolvidos em jogos , redes sociais que não querem pararem nem na hora das refeições. bjsss

  21. Prosa Amiga disse:

    Seu texto é maravilhoso e cheio de reflexão, é verdade que as crianças vivem trancados no quarto.
    As brincadeiras sadias hoje estão ultrapassadas, as crianças estão envolvidas em redes sociais e games.
    Acho que o maior problema é o excesso, como tudo que é demais e perde o controle.

    Bjinhos,
    http://www.prosaamiga.com.br

  22. A verdade é que todo mundo devia ler a realidade que retrata o seu texto. Puro realismo do que vivemos atualmente

  23. Jaqueline disse:

    Eu ainda não tenho filho, mas achei bem legal esse texto a sua dica.
    Bjus
    Jaque
    http://www.quebreiaregra.com.br

  24. Joana D'arc disse:

    OI!
    Parabéns pelo post é uma excelente reflexão. Infelizmente isso ocorre muito em varios lares…
    bjo

  25. Vanessa disse:

    Que texto profundo. Hoje as crianças ficam mais no computador do que ao ar livre, os pais precisam fazer com que as crianças se distanciem desse mundo virtual. Todos os papais e mamães deveriam ler esse texto!
    Beijooos

  26. Amei esse post Re, tenho feito a minha parte.
    Meu filho gosta muito dos eletrônicos, mas também curte muito brincar, correr.
    Ensinei ele a jogar pega varetas, dama, baralho, domino, coisas que eu amava.
    Muito bom você compartilhar esse post.
    Bjão

  27. Dai Coelho disse:

    Também sou mãe e me vejo na correria do dia a dia, me virando entre as atividades e necessidades diárias. Realmente organização faz toda a diferença. Precisamos refletir sobre aquilo que mais importa.

  28. Erica disse:

    Eu não tenho filhos, mas me lembro que na minha infancia eu brincava na rua com os amigos pq não era tão perigoso quanto hoje, alias hoje em dia a criançada mora em prédios sem aquele quintal maravilhoso rsrs e as que não estão tentando pagar de adultos estão com olhos enfiados em um celular ou computador. E o pior é que muitos pais até preferem assim, afinal nessas horas eles “dão sossego” rs coitados.

  29. Michele Lopez disse:

    Olá,
    Não tenho filhos e também não pretendo ter, mas vi em seu texto o ideal de minha mãe e se acaso eu fosse também, gostaria de ter tais atitudes e princípios.
    Adorei o texto e concordo que devemos nos policiar em relação a horários para tudo o que eles fazem além de tentar ao máximo interagir com eles ao invés de deixá-los somente no quarto ou utilizando alguma tecnologia.

    LEITURA DESCONTROLADA

@motivetobepretty no instagram